quarta-feira, 10 de maio de 2017

Missão IOCO - Olívia - Orar



ORAR

Para representar o orar criamos a personagem Olívia que é uma menina que tem o dom da intercessão. O que ela mais gosta é de promover encontros de oração pelos projetos de expansão missionária. O que impactou Olívia com a leitura do livro foi o fato de a avó de Elvira interceder a Deus por ela antes de nascer, para que Deus a chamasse para ser uma missionária.







Para fundamentar o ORAR apresentamos a história sobre a disposição da igreja primitiva em orar em favor de Pedro que estava preso por causa de sua fé em Cristo

A missão de Orar
Objetivos 
O que queremos - Que os participantes conheçam a personagem Olívia e façam a ligação entre o desejo dela de montar uma sala de oração e a possibilidade de o ministério infantil da igreja realizar essa atividade.

Na área do saber
Que as crianças e todos os envolvidos no ministério saibam que a oração intercessória é uma das formas de participar dos planos de Deus para salvação das pessoas

Na área do sentir
Que as crianças e todos os envolvidos no ministério sintam um intenso desejo de praticar a oração intercessória, orando pelos missionários batistas Mineiros

Na área do fazer
Que as crianças e todos os envolvidos no ministério se comprometam a orar, também em casa, em favor dos missionários batistas mineiros.

ORDEM DO CULTO - ENCONTRO

·      Momento da História Bíblica
Texto -  Atos 12
Título A libertação de Pedro da prisão
Cartaz 2 Atos 12.5  Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente por ele.”
Contexto - Após a morte, ressurreição e volta de Jesus ao céu os discípulos continuaram transmitindo os ensinamentos de Jesus. Enquanto os apóstolos estavam na linha de frente, pregando, a igreja permanecia em oração. A oração feita em favor de outra pessoa é chamada de oração intercessória.

·      Momento do Preâmbulo
Olívia estava participando de uma reunião de oração. Todos estavam sofrendo com uma seca terrível. Nos campos as pessoas sofriam ao ver o gado morrer por falta d’água e alimento. Nas cidades as pessoas sofriam com o racionamento de água que era levada até os bairros mais distantes, uma vez por semana, por um caminhão pipa. Naquele encontro o motivo principal era pedir a Deus que enviasse chuva. Olívia apareceu na reunião com sua sombrinha rosa. Ninguém mais estava com guarda-chuva ou sombrinha. Diante daquela cena todos ficaram admirados. Os adultos perguntavam:
-- por que essa menina trouxe sombrinha?
Olívia por sua vez perguntava:
-- por que vocês não trouxeram sombrinha?
Quando oramos devemos acreditar na resposta de Deus.

·      Momento da história
Após a morte, ressurreição e ascenção de Jesus os discípulos continuaram Sua missão de anunciar as boas novas do evangelho. Porém o cumprimento dessa missão foi dia a dia se tornando muito perigosa. Isso porque os líderes religiosos dos judeus não concordavam com os ensinos sobre Jesus. Então, para interromper a pregação, alguns judeus começaram a apresentar falsas denúncias contra os discípulos. Assim as autoridades de Jerusalém iniciaram a perseguição.

Essa perseguição resultou em várias prisões e na morte de Tiago irmão de João por ordem de Herodes.

Sabendo que os perseguidores dos cristãos gostaram de sua atitude maldosa, Herodes resolveu continuar com sua malvadeza. E ordenou a prisão de Pedro, um dos principais apóstolos, pretendendo julgá-lo após a festa da Páscoa.

Pedro era um homem muito conhecido e respeitado entre o povo. Por isso Herodes mandou reforçar a guarda da prisão. Além de ter as mãos acorrentadas às de dois guardas, outros dois ficaram à porta da cela, vigiando 24 horas.

Humanamente era impossível Pedro escapar daquela prisão. Os cristãos preocupados com a vida de Pedro, se reuniram em oração na casa de Maria mãe de João Marcos. Ali, juntos intercediam incessantemente, para que Deus libertasse Pedro das mãos de Herodes.

Os planos de Herodes para Pedro eram os piores. Ele estava só esperando que passasse a festa da Páscoa para julgá-lo culpado. Mas os planos de Deus para Pedro eram os melhores. Por isso na noite anterior ao julgamento Ele enviou um anjo à prisão enquanto todos dormiam. Ao chegar à cela, Pedro estava algemado a dois guardas que também dormiam. O anjo tocou em Pedro e o acordou dizendo:
-- Rápido! Rápido! Vista-se e calce as sandálias.

Pedro ficou muito assustado com aquela voz e aquela luz brilhante dentro da cela. Enquanto se levantava, as correntes que prendiam suas mãos às mãos dos guardas, se soltaram, porém eles não acordaram.

Ao ver que Pedro já estava solto o anjo saiu correndo em direção à porta principal.  Pedro, sem saber se o que acontecia era real ou sonho,  em disparada, corria atrás do anjo. Passaram pelos outros guardas que, como estátuas, não perceberam nada. Quando chegaram à porta principal da prisão ela se abriu instantaneamente, sozinha, e os dois passaram livremente. Ao chegarem à rua, antes de Pedro perceber nitidamente o que acontecia, o anjo desapareceu.

Ali parado, no meio da noite, em uma rua deserta, meio atordoado, Pedro percebeu que Deus havia enviado o Seu anjo para libertá-lo das mãos do malvado Herodes.

Ao se recobrar do susto, Pedro correu para a casa de Maria e João Marcos. Ao chegar lá ele bateu insistentemente na porta. Eles nem ouviram, pois estavam em oração. Porém uma menina, que trabalhava na casa, chamada Rode ouviu o barulho e foi ver o que era. Ao chegar à porta, Rode reconheceu a voz de Pedro. Ela ficou tão feliz, mas tão feliz, que vez de abrir a porta, voltou para avisar que Pedro estava livre.

A situação ficou muito confusa. Rode dizia:
-- Pedro está à porta.
Os irmãos diziam:
-- Você está fora de si, Pedro está preso.
Enquanto isso Pedro batia na porta. Quando finalmente abriram a porta todos ficaram perplexos e cheios de alegria. Com gratidão perceberam que Deus havia ouvido e respondido suas orações.

Pedro sabia que não poderia continuar na cidade por muito tempo, pois, Herodes haveria de descobrir o acontecido. Então contou a todos como fora liberto pelo anjo, fez algumas recomendações e fugiu da cidade no meio da noite.

No dia seguinte o alvoroço na prisão foi geral. Nenhum soldado sabia o que tinha ocorrido. Não existia explicação convincente para aquele acontecimento extraordinário.

Herodes ficou louco de raiva e mandou a guarda real fazer uma busca pela cidade. Porém eles não encontraram nenhum vestígio de Pedro. Furioso, Herodes mandou executar todos os soldados que estavam de guarda na noite da libertação de Pedro, pensando que eram culpados pela fuga de seu ilustre prisioneiro.

Aplicação - Ao ouvir essa história Olívia se lembrou de uma sala de oração que viu quando viajou com sua mãe para uma cidade mineira. Elas foram a uma Assembleia da Convenção e lá, durante a programação havia uma sala especial preparada para receber aqueles que desejavam orar. A sala tinha um tapete bonito e várias almofadas, em que as pessoas podiam sentar ou ajoelhar para orar. Também tinha uma mesa forrada com uma toalha branca e em cima dela alguns bloquinhos e canetas para anotação dos pedidos de oração.

·      Momento da discussão
1.     Olívia levou uma sombrinha para a reunião de oração quando pediam a Deus que mandasse chuva sobre a terra. Os outros irmãos não levaram. Qual a opinião de vocês sobre esse fato?
2.     Por que vocês acham que os irmãos que estavam orando pela libertação de Pedro da prisão não acreditaram na palavra de Rode quando esta disse que ele estava à porta da casa?
3.     Outros motivos caso tenha necessidade

·      Momento da oração Intercessória
Após a discussão direcionar as crianças ao espaço de oração que deve ser um local com um tapete, almofadas, enfim um lugar aconchegante e agradável.
Motivos
1.     Para que Deus livre os missionários que estão nos campos de Minas Gerais das pessoas malvadas.
2.     Para que as pessoas que estão ouvindo a mensagem do evangelho possam acreditar que Jesus é o salvador.
3.     Dar oportunidade às crianças para apresentar os nomes de seus parentes que precisam da salvação

·      Momento da atividade
Palavra Cruzada



Nenhum comentário:

Postar um comentário