segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Ensino Bíblico às crianças: Nosso legado à nova geração

Os olhos de vários setores, principalmente o comercial estão voltados para as crianças. Milhões de dólares são investidos pelas fábricas de brinquedos e pela indústria do cinema, em desenhos animados de curta e longa metragem. Tudo para agradar as crianças. É claro que com isso agradam também aos pais, pois querem o melhor para os filhos - O melhor na educação e na diversão.

A igreja de Cristo tem nas mãos a maior de todas as oportunidades que alguém pode receber: a de ensinar as crianças o temor ao Senhor. Não só tem o melhor conteúdo, tem também os melhores professores. Mesmo aqueles que não passaram por uma graduação ou licenciatura, são os melhores. Porque são comprometidos com o Senhor da igreja. Se são comprometidos com o Senhor da igreja buscam o conhecimento e a sabedoria em Deus e em Pua palavra e o aperfeiçoamento metodológico em oficinas e cursos rápidos. São pessoas que amam e pastoreiam as crianças, ensinando-lhes os princípios da fé em Jesus com alegria, diversão, relevância. Porque sabem que ao aceitar a Cristo como salvador, uma criança tem a vida toda para Dele testemunhar. Porque sabem que alcançando a criança, alcança-se a família.

Pelo menos dois grandes pregadores do passado tinham as crianças como prioridade em seus ensinos. Um deles Charles H. Spurgeon (1834-1892), quando foi professor de crianças na Escola Bíblica viu muitos pais se converterem com o testemunho de seus filhos. O outro foi Dwight L. Moody que viveu de 1837 a 1899 nos Estados Unidos. Ele dedicou-se à Escola Bíblica Dominical. Seu ensino começou com 12 crianças e ele chegou a alcançar 12 mil delas. Uma vez após uma de suas pregações perguntaram-lhe quantas pessoas haviam se manifestado a Cristo. Ele respondeu que duas e meia. O interessante é que não foram dois adultos e uma criança, mas duas crianças e um adulto. A meia pessoa, de acordo com o grande pregador, era o adulto que tinha meia vida pela frente para servir e glorificar a Deus. Mas, as duas crianças tinham a vida toda.

A visão da importância das crianças para o reino de Deus, foi passada por Jesus aos primeiros discípulos e graças a Deus tem sido passada de geração a geração chegando até nós, igreja atual. Uma pesquisa realizada pela APEC (Aliança Pro Evangelização das Crianças) constatou que 85% dos evangélicos se converteu entre os 4 e 14 anos. Dos 15 aos 30 anos o percentual caiu para 10% e após os 30 anos, caiu ainda mais, 4%.
É inteligente a igreja que investe no ministério da educação cristã, em capacitação de professores e recursos didáticos. É inteligente a igreja que busca ajuda de um educador, para orientar sua equipe educacional, pois em suas muitas atividades pastorais, torna-se muito difícil para um pastor ser também um educador eficiente.

Este é o nosso tempo. Esta é a nossa geração. O ensino dos princípios cristãos com qualidade e relevância não só às crianças como aos adultos, deve ser o nosso legado.

Texto produzido por Senhorinha Gervásio a partir de informações contidas no livro “Pastoreando as crianças desta geração de Cláudia Guimarães, editora vida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário