quarta-feira, 14 de julho de 2010

O REMÉDIO MAIS EFICAZ





Autoras: Luciana Alves Rodrigues e Rita de Cássia Campos Reis


Personagens:
• Julieta
• Caixa
• Vizinho


Obs. No rótulo da caixa estava escrito: “Medicamento indicado para prevenção e cura de carência afetiva.”


D. Julieta era uma mulher solitária, triste e de um coração muito amargurado. Certo dia, ganhou um a caixa com um remédio muito especial que ela acreditava ser a cura para seus males. Ao chegar em casa sentiu necessidade de usar o medicamento, pois tamanha era a sua tristeza. Mas percebeu que não conseguia abri-la. Muito aborrecida aproximou-se da janela. Passou um vizinho e D. Julieta contou-lhe o que estava acontecendo, e ele lhe ofereceu ajuda. Tentaram juntos, abrir a caixa, por um bom tempo, mas não adiantou. Chamaram outro vizinho e outro... , e quando se deu conta sua casa estava cheia de gente, parecia mais uma festa. Todos conversando, rindo e tentando abrir a caixa.



Então D. Julieta se sentiu feliz, percebeu nos gestos dos vizinhos a amizade e carinhos que todos tinham com ela.



De repente como numa mágica, a caixa se abriu e a alegria resplandecia em seu olhar e nos olhares dos seus vizinhos. D. Julieta não estava mais amargurada e sozinha como antes.



Na verdade o remédio não estava dentro da caixa, ela estava vazia. O remédio estava dentro do coração e nas atitudes de seus vizinhos que contagiou D. Julieta, enchendo a casa dela de alegria e solidariedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário