segunda-feira, 14 de junho de 2010

Dia do Pastor/dia da Pastora

LIDERANÇA PASTORAL


A mulher pastora
Marli de Melo Bondioli
Publicado em 08.03.2010


"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao SENHOR."
(Efésios 5: 22)


 Existe um padrão consistente de liderança masculino por toda a história da bíblia. O próprio Jesus ordenou homens para prosseguir sua missão.Louvo a Deus por cada homem pastor, porém é comum observar alguém do para a mulher pastora com o pensamento dominante que este ofício não foi feito para ela e provavelmente sua atuação não é bíblica. Mas não podemos desconsiderar a presença de mulheres atuante no ministério no antigo e no novo testamento. Compreendo que a subordinação da mulher tem base na criação descrito nos capítulos 1 e 2 de Gênesis e não na queda narrada no capítulo 3. Sou convicta que a cruz de Cristo aboliu todas as diferenças que existiam para que homens e mulheres udessem aproximar-se de Deus. Esta igualdade não altera as atribuições voluntárias do homem e da mulher.

Sem entrar em conceitos teológicos quero testemunhar minha experiência de mulher pastora. Há 13 anos fui convidada através do meu pastor a cuidar de um "ponto de pregação caseiro" na zona sul da cidade de Londrina. Aceitei o convite considerando a importância e a necessidade, sem ter, no entanto, a consciência e conhecimento do terreno que iria pisar, tão
pouco do que me aguardava. Tudo o que eu sabia era que meu coração estava em flama por Cristo, transbordante em amor para pregar a sua Palavra, servir com excelência crendo que "todas as coisas cooperam para bem daqueles que O teme".

A eterna fidelidade divina operou e vidas oprimidas e sedentas foram alcançadas através do evangelho que prontamente submetiam-se a Jesus como salvador. Alguns meses depois nasceu uma igreja acolhedora, responsável e presente na comunidade. Salvação, curas, transformações de família acontecem diariamente. Os resultados são extraordinários! Deus tem operado maravilhas não deixando nenhuma dúvida sobre a autoridade que Ele mesmo delega à mulher cristã que reconhece e obedece ao chamado divino. Acredito que o maior testemunho que a mulher pastora pode dar para a família, igreja e sociedade é sua genuína intimidade com Deus expressa na comunhão pura, respeitosa e feliz com a família e em especial com o seu cônjuge seja ele, membro ou pastor que está submetido à sua liderança na igreja.



O apóstolo Paulo escreve para que as mulheres vivam em sujeição ao marido como ao Senhor. Entendo perfeitamente que esta palavra está conceituada na esfera do relacionamento conjugal, mas creio também, que tal atitude reflete em todas as áreas de relacionamentos e em qualquer circunstância de nossa caminhada. Nenhum ofício ou posição que a mulher ocupe ficará acima dos princípios estabelecidos na Palavra de Deus. Foi Ele mesmo que inspirou Paulo a continuar seu raciocínio desprovido de qualquer objeção à mulher quando diz: "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela," (Efésios 5:25).

Sou casada há 25 anos com um pastor, temos dois filhos e vivemos em harmonia. Na esfera familiar meu marido é o nosso "senhor" e nós seguimos espontaneamente sua orientação. Na Igreja, Jesus é a cabeça, e é este o fundamento de minha liderança pastoral, ou seja, a base é a obediência e submissão na perspectiva da missão integral (alcançar vidas com o evangelho transformador, compartilhar o amor e justiça eterna, servindo a comunidade no âmbito social).



Meu marido é meu co-pastor. Obviamente em nosso histórico esta posição permite que algumas pessoas interpretem de forma errada nosso relacionamento concluindo que prevaleço na área que é de permanente autoridade dele, no entanto nada disso acontece, pois nos completamos em cada situação servindo com zelo santo todos os trabalhos que efetuamos no cumprimento da nossa missão. Temos uma visão clara de nossas atuações

seja em família, na igreja ou diante da sociedade. O preconceito é um fato. Tanto na esfera denominacional quanto no mundo. Aprendi a lidar dedicando todo o tempo às boas obras. Semelhantemente à Neemias tenho uma grande obra para realizar e não posso parar.
Sigo a ordem de Jesus: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo" (Marcos 16:15-16ª).



Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e a fonte como: http://www.institutojetro.com/ e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário