terça-feira, 18 de maio de 2010

Prudência- Raul de Leoni Ramos (Petrópolis RJ 1895-1926)

O professor Armindo de Oliveira, homem sábio e gentil  com riso de menino, em sua pequena reflexão em um dos encontros de adultos da Igreja Batista Memorial de Belo Horizonte falou aos participantes de sua paixão pela poesia, e pela habilidade do poeta que consegue escrever um livro em um poema, tal sua capacidade de síntese.

Falando sobre o relacionamento e aceitação das pessoas como são, simplesmente amando-as... leu e comentou o soneto a seguir de  Raul de Leoni Ramos (Petrópolis RJ 1895-1926)  

Não aprofundes nunca, nem pesquises
O segredo das almas que procuras:
Elas guardam surpresas infelizes
A quem lhes desce às convulsões obscuras.

Contenta-te com amá-las, se as bendizes,
Se te parecem límpidas e puras,
Pois se, às vezes, nos frutos há doçuras,
Há sempre um gosto amargo nas raízes...

Trata-as assim, como se fossem rosas,
Mas não despertes o sabor selvagem
Que lhes dorme nas pétalas tranqüilas.

Lembra-te dessas flores venenosas!
As abelhas cortejam de passagem,
Mas não ousam prová-las nem feri-las...

Outros em:
http://www.elsonfroes.com.br/sonetario/leoni.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário