sexta-feira, 12 de março de 2010

Valores invertidos

Vejo a notícia na TV e fico embasbacada: "menina de três anos pega arma do pai em cima da mesa e dá um tiro na barriga". Como se não bastasse a estupidez do pai em deixar a arma sobre a mesa, a repórter, seguindo a notícia diz que o pai havia ensinado a filha a jogar um vídeo game em que se usa arma contra os personagens. (a escola da maldade)

Em seguida outra notícia me faz refletir: mulher de 51 anos encontra ladrão em sua casa, roubando seus pertences. Insanamente dá-lhe vários golpes, toma sua arma. O infeliz corre para pular o muro. A mulher dá a volta no quarteirão e pega o ladrão. Soca-lhe a cara no muro até que a polícia chega e o prende. A arma era de brinquedo (a escola da maldade)


Á noite leio a notícia de que as maldades de Rafaela na novela "Viver a Vida", da Rede Globo, chegaram ao Ministério Público do Rio de Janeiro, e Manoel Carlos pode ter que mudar o rumo de Klara Castanho na trama. A procuradora Maria Vitória Sussekind Rocha, responsável pelo caso, alegou que o papel da menina, de apenas 9 anos, pode influenciar seu próprio comportamento e de outras crianças. "O inquérito está sob sigilo. Todas as medidas cabíveis estão sendo adotadas. O objetivo é o bem-estar da menor. Interpretar uma vilã pode gerar danos psicológicos para a própria criança e para outras crianças que assistem à novela", disse. (aprendem a lição na escola da maldade)


Fico pensando em como os valores estão invertidos. O virtual e o real se misturam. Um está no jogo o outro está na mesa e a inocente criança usa o real como se fosse virtual e se fere realmente. (Não estava emocionalmente preparada para receber as lições da escola da maldade). Nossas crianças estão perdendo a infância. Brincar se tornou uma atividade perigosa.
A mídia exibe em rede nacional em horário nobre, diversão quase que de graça e acessível a quase todos neste Brasil imenso, uma personagem infantil com a maldade de um adulto.
Se por um lado as pessoas não suportam mais serem insultadas por bandidos que roubam e matam, sem serem punidos ao ponto de na ânsia de defender sua propriedade uma mulher franzina de 51 anos surpreender o ladrão tomar-lhe a arma, dar-lhe um boa surra e o entregar á polícia, por outro as crianças são introduzidas inescrupulosamente nas mazelas do mundo adulto, escola da maldade, por alguns pais e pela mídia. O círculo vicioso continua e continuará se não houver pessoas do bem que posssam interronpê-lo com a escola dos sonhos.

Veja a notícia completa no endereço abaixo http://yahoo.tecontei.com.br/noticias/mp-do-rio-abre-inquerito-para-proibir-maldades-de-rafaela-em-viver-a-vida-72788.html

Um comentário: