segunda-feira, 22 de março de 2010

Sobre mãos e mãos












Há muitos anos, tomei conhecimento, no período do dia das mães, de uma frase que dizia: “as mãos que embalam o berço são as que governam o mundo”. Sobre mãos, a Bíblia diz lá em Eclesiastes 9.10 "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma" e Colossenses 3.23 acrescenta o sentido do fazer envolvido pelas mãos: “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens.
Nota-se nas afirmativas dos textos acima citados, que as mãos, no sentido figurado, estão relacionadas às nossas mais variadas ocupações, representando os vários fazeres, desde a mais terna expressão de afeto – embalar o berço, à mais alta função política - governar os países, instituições, grupos etc.
Caminhando para o sentido concreto, não são menos importantes as funções exercidas pelas mãos. Fazemos praticamente tudo com elas: dirigimos automóveis, teclamos no computador, limpamos a casa, lavamos a louça. Por essas e outras muitas atividades, as mãos estão sempre expostas e trabalhando o tempo todo. Sujeitas às mudanças bruscas de temperatura e aos inúmeros agentes agressores, elas sofrem mais que as outras partes do nosso corpo. Por isso perdem a maciez e elasticidade da sua pele, adquirem manchas escuras, enfim envelhecem precocemente em relação ao resto do corpo.
Eu que o diga! Já sofri alguns anos com uma alergia violenta em toda minha mão esquerda e o dedo indicador da mão direita. Ela ficou tão feia que eu fazia tudo para escondê-la. Evitava cumprimentar “de mão”, porque a pele do meu dedo indicador era tão seca que arranhava e tinha ocasião em que a alergia estava mais acentuada era preciso usar dois bandaids em cada dedo. Apesar de não resolver a situação, distribui pequenos potes de creme em todos os lugares possíveis: um em cada bolsa, porta luva do carro, sala, cozinha, quarto, banheiro, porque em questão de minutos o creme simplesmente evaporava e a pele ressecava novamente. Foi um tempo difícil que só a homeopatia resolveu.
Se no campo figurado podemos melhorar a atuação das nossas mãos, fazendo “tudo com todo o coração, como se fosse para Deus”, também no campo concreto existem algumas dicas que podem nos ajudar a cuidar melhor delas.

Eis algumas:
· Usar luvas especiais para desempenho dos serviços domésticos;
· Usar hidratante habitualmente para evitar ressecamento da pele;
· Usar sabonetes à base de glicerina, pois os comuns são muito alcalinos e ressecam a pele.
· Usar diariamente filtro solar, para evitar as manchas escuras;
· Limpar as unhas constantemente, sem roê-las, é claro;
· Usar um creme esfoliante a cada 15 dias para retirada das células mortas;
· Para quem pinta as unhas, ter o cuidado de retirar o esmalte assim que apresentar sinais de envelhecimento. Pior que unha sem esmalte é unha com esmalte cascado. Passa a ideia de descuido. E nenhuma mulher quer o título de descuidada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário