sexta-feira, 5 de março de 2010

PROJETO DE LEI Nº 32/2006 Concede Título de Cidadã Tocantinense a Missionária MARGARIDA LEMOS GONÇALVES







A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO
TOCANTINS decreta:

Art. 1º. Fica concedido o Título de Cidadã Tocantinense à Missionária MARGARIDA LEMOS GONÇALVES da Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira.
Art. 2º . Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Sala das Sessões, aos 13 dias do mês de junho de 2006.
ELI BORGES
Deputado Estadual

JUSTIFICATIVA

Margarida Lemos Gonçalves nasceu em 5 de fevereiro de 1927, em Vitória, capital do Espírito Santo. Seus pais, D. Filhinha e Pr. Almir; seus irmãos Fanny, Aracy, Alice, Carrie, Etta e Almir, representam uma família cristã de destaque no meio evangélico em terras capixabas.
Criada em lar piedoso, aprendeu desde cedo a amar e adorar o Deus Todo Poderoso, procurando crescer na graça e no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Sua infância foi marcada por dificuldades, pois quando ainda pequena sua saúde se agravou e o prognóstico médico não foi nada favorável: a pequena Margarida teria apenas sete anos de
vida. Porém, como Deus tem propósito na vida de cada pessoa, as orações foram feitas e a sua vida prolongada, para a Glória do Altíssimo.

Margarida Lemos Gonçalves estudou no Colégio Batista de Vitória do jardim de infância até o curso científico. Graduou-se em Licenciatura Plena em Pedagogia na Universidade Federal do
Pará e em Educação Religiosa no Seminário do Sudoeste dos Estados Unidos, Forth Worth, Texas, onde se especializou em Educação Infantil.

Aos 15 anos, ouvindo o testemunho de missionários, sentiu-se chamada por Deus para o trabalho missionário. No dia 4 de novembro de 1948 deixou o seu lar, seus amigos e sua querida
Igreja Batista de Itacuruçá, no Rio de Janeiro, seguindo para o campo missionário.

Foi comissionada para o Instituto Teológico Batista de Carolina, no Estado do Maranhão, onde exerceu a missão de relevante e inestimável valor no preparo de jovens vocacionados para o
ministério da pregação do Evangelho de Cristo Jesus. Naquela localidade, fundou uma Escola de Alfabetização que ficou conhecida como a “Escola dos Pés Descalços”. Hoje essa escola é muito
bonita, tem muitos alunos e recebeu o nome da sua fundadora. Em 1950, chega à Tocantínia, concretizando seu sonho de menina, vindo trabalhar ao lado da missionária Beatriz Silva, no
Colégio Batista daquela cidade, onde dedicou grande parte da sua vida, exercendo as atividades de Diretora do Internato e professora.

Em 1968, recebeu o Título de Cidadã Honorária de Tocantínia pelos relevantes serviços prestados àquela cidade onde trabalhou por mais de 35 anos ininterruptos.

ANO XVII PALMAS, SEXTA-FEIRA, 23 DE JUNHO DE 2006 DIÁRIO DA ASSEMBLÉIA Nº 1484 6
Como missionária, desbravava os sertões indo a lugarejos distantes, onde somente a cavalo se podia chegar. Suas férias escolares eram gastas abrindo frentes missionárias, implantando
igrejas, realizando Escolas Bíblicas, cursos de liderança, sempre ao lado da pioneira Beatriz Silva.

Em 1986 aceitou o convite do Colégio Batista de Santarém, no Pará, para atuar como diretora. Lá, em razão da contribuição doseu trabalho e dedicação, deixou marcas indeléveis nos corações
dos alunos, da Igreja local e da comunidade. Contudo, o coração da missionária Margarida ainda batia forte pelo antigo norte do Estado de Goiás.

Quando o Estado do Tocantins foi criado, foi convocada pela Junta de Missões Nacionais, estando presente aos eventos pioneiros do aludido Estado.

Pelo seu valor e capacidade, foi convidada pelo governo instalado a dar atendimento aos encargos de implantação do Sistema Estadual de Educação, vindo a ocupar a presidência do Conselho
Estadual de Educação por mais de 6 anos.

A Missionária Margarida Lemos Gonçalves é membro fundadora da Academia Tocantinense de Letras, ocupando a presidência da mesma por dois anos. Também ocupou o cargo de Diretora de
Ensino do Município de Palmas e Assessora da Secretaria Municipal de Educação de Palmas, tendo recebido em 1998 o título de Cidadã Palmense, outorgada pela Câmara Municipal de Palmas.

No Conselho Municipal de Educação de Palmas, ocupa o cargo de Vice-Presidente e, como missionária, atua até hoje na Direção-Geral do Colégio Batista de Palmas onde continua influenciando muitas pessoas com o seu testemunho de vida cristã.

Mas a Missionária Margarida Lemos não é apenas uma experiente detentora de importantes cargos na vida eclesiástica e de boa formação intelectual, é, sobretudo, uma cidadã de probidade
acentuadamente perceptivel a todos os que testemunharam e testemunham a sua trajetória. Aliás, a sua caminhada tem inspirado outros cidadãos e cidadãs a se apegarem à boa conduta
como regra divina para uma vida melhor. Por estas e por muitas outras razões que poderiam aqui serem mencionadas, estou certo de que conferir o Título de Cidadania Tocantinense à Missionária Margarida Lemos é muito mais do reconhecer o valor e a nobreza dessa extraordinária mulher, é sobretudo promover o engrandecimento do nosso querido Estado pelo
exemplo de vidas de pessoas de tal estirpe que aqui vivem.

Conclamo os nobres pares desta Casa de Leis a aprovação do presente Projeto de Lei.
Sala das Sessões, aos 13 dias do mês de junho de 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário