quinta-feira, 18 de março de 2010

Escola dos sonhos 5- O teatro como desafio à criatividade













(Clique sobre a imagem para ampliá-la)
Cilene Guedes em seu livro: Teatro Evangélico- um desafio à criatividade, apresenta a diferença do teatro evangélico do secular. Para ela a única diferença se dá pelos objetivos e mensagem. Fora isso os elementos são os mesmos: corpo, voz, interpretação, improviso, construção de personagens, dedicação e qualidade. O que garante o caráter evangélico é a presença de Jesus, não necessariamente no palco, mas no coração de quem trabalhou na montagem, engrandecendo o Reino de Deus. É a entrega das falas, dos movimentos e de todas as atividades inerentes ao espetáculo, como louvor a Deus, juntamente com o desejo de que o público conheça-o através da mensagem veiculada. Fazer teatro evangélico é fazer teatro por Deus e para Deus, colocando a arte a serviço de Sua obra.
Por ter grande potencial de comunicação, o teatro torna a mensagem acessível, penetrante, provocando reflexões, mudança de pensamentos e até transformação de atitudes. Ex. Um dependente químico que procura ajuda após assistir a uma peça de teatro sobre o assunto. A decisão foi dele, mas a peça o ajudou a entender sua situação.
Seu poder está em proporcionar o envolvimento emocional do expectador, abrangendo praticamente toda a sua capacidade perceptiva, de uma forma tão intensa, que fica impossível não prestar atenção e não participar da trama. Ao longo da peça o expectador entra no jogo cênico e se vê cogitando possíveis soluções para os conflitos. A imaginação é ativada, dando-lhe um gosto especial pelo sonho, que torna a vida mais divertida. Jesus foi sábio provocador de imaginação em seus ouvintes. Contava suas histórias, levando as pessoas a imaginarem uma situação e nem sempre explicava que lições tirar delas. Através da imaginação ele trazia as pessoas para a realidade de seus ensinos.
Como os conflitos da arte teatral são os mesmos do cotidiano o expectador percebe-os interpretados pelo ator e se deixa cativar. Se o trabalho humano já é tão capaz de mexer por si só com o expectador, imagine com a atuação do Espírito Santo de Deus? Teatro evangélico é Deus trabalhando profundamente com os componentes do espetáculo e com o público.
Por tudo isso, fazer teatro em favor do Reino de Deus, por sua capacidade de tornar a mensagem acessível, de envolver o expectador e cativá-lo, não é imitar a forma de agir do mundo, mas sim usar as estratégias que Jesus usou. (...continua )

Nenhum comentário:

Postar um comentário