quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

VOTO FEMININO


Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.
Com o advento da República, uma das primeiras defensoras do voto feminino no foi Josefina Álvares de Azevedo. Fundadora, em 1888 na cidade de São Paulo, do primeiro jornal feminino de repercussão (A Família), ela sempre se manifestou em favor da emancipação social da mulher. Praticamente toda sua obra tinha o objetivo de intervir na ordem social e política do seu tempo, de modo a criar condições mais justas e igualitárias entre os sexos.Nas páginas de "A Família", a primeira causa que defendeu em prol da elevação do status das mulheres na sociedade foi a educação.
Com um pensamento bastante radical para a época, mais do que, talvez, de todas suas companheiras do final do século XIX, reivindicava para o sexo feminino um tipo de educação que desenvolva sua capacidade para exercer não só a direção da família, mas também as mais altas funções do Estado. Após a proclamação da República, passa a defender o direito de voto para as mulheres. Defendia que, sem esse direito, a igualdade prometida pelo novo regime político não passava de uma utopia.


No código eleitoral Provisório (Decreto 21076), de 24 de fevereiro de 1932, o voto feminino no Brasil foi assegurado, após intensa campanha nacional pelo direito das mulheres ao voto. Fruto de uma longa luta, iniciada antes mesmo da Proclamação da República, foi ainda aprovado parcialmente por permitir somente às mulheres casadas e às viúvas e solteiras que tivessem renda própria, o exercício de um direito básico para o pleno exercício da cidadania. Em 1934, as restrições ao voto feminino foram eliminadas do Código Eleitoral, embora a obrigatoriedade do voto fosse um dever masculino. Em 1946, a obrigatoriedade do voto foi estendida às mulheres. Foram muitas as mulheres que lutaram pela conquista do direito ao voto feminino: Julia Barbosa, Bertha Lutz, Leolinda Daltro, Celina Vianna, Nathércia da Cunha Silveira, Antonietta de Barros, Almerinda Gama, Jerônima Mesquita, Maria Luisa Bittencourt, Alzira Teixeira Soriano, Carlota Pereira de Queiroz, Josefina Álvares de Azevedo, Carmen Portinho, Elvira Komel, Amélia Bevilacqua, Isabel de Sousa Matos e diversas outras mulheres que participaram de tão importante conquista.
Estamos colhendo hoje o que muitas mulheres plantaram no passado.
O que estamos plantando para que as mulheres da nova geração colham com alegria?
http://www.mch.ifsuldeminas.edu.br/~cimma/Datas.php

sunamita disse... Senhorinha tenho acompanhado todos os dias do mês de fevereiro as postagens no seu blog,gostei muito da onde vc fala de sua mãe e da irmã diola e tbém a do dia 24,eu não sabia sobre essa história,enriqueceu o meu conheçimento,obrigada por plantar a semente de um mundo melhor 

Um comentário:

  1. Senhorinha tenho acompanhado todos os dias do mês de fevereiro as postagens no seu blog,gostei muito da onde vc fala de sua mãe e da irmã diola e tbém a do dia 24,eu não sabia sobre essa história,enriqueceu o meu conheçimento,obrigada por plantar a semente de um mundo melhor

    ResponderExcluir