sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Por que o cristianismo faz sentido




WWW.ultimato.com.br
Timóteo Carriker

Você alude à baixa qualidade do que se oferece à juventude, nas igrejas. De outro modo, completa minha denúncia de que os principais assuntos eclesiásticos sobre missão e diaconia, de fato, são solenemente ignorados nas igrejas, assim como o cuidado com a juventude no século 21 (que se expressa no culto gospel, no entretenimento, no show business). “Em verdade vos digo”, não sabemos o que fazer com os desafios deste século, quanto ao discipulado da vocação cristã (Rm 12.2).

Como prevenir o dano biográfico e psicosocial na infância, adolescência e juventude? Drogas, violência, deserção escolar, trabalho precoce, prostituição juvenil, gravidez de adolescentes, crack, aids, mendicância, delinquência, antecipação da maioridade penal também são consideradas ameaças severas para a juventude? Em que sentido pode-se colocar em risco o projeto de Deus de vida plena para esse grupo? Segundo esta perspectiva, como poderemos atender demandas para uma permanente responsabilidade dos cristãos e das igrejas em relação às crianças, aos adolescentes, aos jovens, e até aos mais velhos?

Como interpelar a sociedade, e a própria igreja, sobre sua responsabilidade na reconstrução das relações entre atores ativos da violência intrafamiliar, a partir do reconhecimento mútuo como seres humanos iguais em dignidade, liberdade e responsabilidade? A respeito da violência contra a mulher, a criança, da hetero e homofobia, a discriminação por causa da cor da pele, do(s) sexo(s) ou gênero(s); constituímos na igreja um chamado ao serviço libertador de pessoas, famílias, grupos, entre as propostas de serviço ao outro com as quais Jesus Cristo se identifica? Se existem, me avisem. Mais perto, não tenho visto.
Não é exagero. Tom Wright é simplesmente o meu autor favorito. Tenho mais de vinte livros dele e li todos. Por eles, impressionei-me profundamente, tanto em termos de aprendizagem intelectual quanto em termos de intensificar a minha devoção a Jesus Cristo e confiança na Palavra de Deus. Suas credenciais não deixam ninguém lhe colocar defeito: chamado ao ministério aos 8 anos, professor de Novo Testamento durante anos na escola mais prestigiosa do mundo, a Universidade de Oxford, na Inglaterra, bispo de Durham, o maior estudioso do Novo Testamento da atualidade e homem de fé com uma missão de transmiti-la com clareza. É difícil recomendar um livro deste autor sem avisar o leitor da jóia que tem em mãos. Agora, ao livro. Simplesmente Cristão é simplesmente incrível. O maior estudioso do Novo Testamento condensa, sintetiza e comunica com clareza o conteúdo de uma vida de estudo e dos seus mais de quarenta livros. Dizem, e eu concordo com entusiasmo, que este é o livro que substituirá o clássico da apologética cristã de C. S. Lewis, “Cristianismo Puro e Simples” (Martins Fontes), publicado originalmente em 1952. Embora os livros de Lewis e Wright tenham o mesmo propósito -- esclarecer os fundamentos da fé cristã --, Simplesmente Cristão adota uma estratégia diferente, levando em conta o leitor pós-moderno.

Na primeira parte, Wright começa com uma série de perguntas comuns a toda a humanidade:

Por que as pessoas anseiam pela justiça? Por que temos sede de espiritualidade? Por que desejamos relacionamentos? Por que a beleza não nos satisfaz completamente? E responde: Porque somos seres humanos criados por Deus e para Deus. Porque somos filhos que esperam pelo nosso Pai.

Com estas perguntas em mente, na segunda parte o autor nos leva numa jornada pela história da Bíblia ao encontro dos temas Deus, Israel, a expectativa do reino de Deus, Jesus, o Espírito e a vida pelo Espírito. É um resumo fantástico e profundo!

Finalmente, na terceira parte o autor apresenta a sua compreensão da vida humana debaixo do senhorio de Jesus, uma vida vivida no aqui e agora, solidária com a transformação do mundo em que vivemos, um mundo já em processo de transformação pela ação de Deus na história humana por meio da morte e ressurreição de Jesus.

O autor insiste que a fé cristã se baseia na história, e não em fábulas, isto é, que Jesus viveu, morreu e ressuscitou, e que a ressurreição é o evento central na recriação por Deus do nosso mundo caído. Insiste que os cristãos são participantes ativos no desdrobramento futuro do plano de Deus, cada um com o seu papel específico. Insiste na existência de um mundo espiritual que se cruza com o mundo histórico por meio do culto, da oração, da leitura da Bíblia e dos sacramentos. Como cristãos, somos chamados para ser lugares onde estes dois mundos se cruzam, onde a luz de Jesus brilha. E Wright enfatiza o lugar essencial do perdão na vida cristã, quando Deus perdoa o nosso pecado e nós perdoamos uns aos outros, como a oração do Pai-Nosso ensina.

Simplesmente Cristão comunica tudo isso sem o uso de chavões pouco conhecidos pelos não-cristãos. Não conheço outro autor que consiga expressar de modo tão claro, profundo e belo a verdade da fé cristã.


• Timóteo Carriker é autor de Trabalho, Descanso e Dinheiro (esgotado) e A Visão Missionária na Bíblia (Editora Ultimato).

Nenhum comentário:

Postar um comentário