quarta-feira, 18 de novembro de 2009

"O caráter Em Primeiro Lugar" - GENEROSIDADE




História- O Vestido Azul

Uma escola situada na periferia de uma grande cidade. A nova professora se encontra em pé diante da turma. Lá no fundo da sala, afastada das outras crianças está uma menina. Seu rosto chama a atenção pela delicadeza dos traços, meiguice nos olhos sorriso nos lábios. Chama atenção também o pouco cuidado dispensado por sua família. Os cabelos estão grudados e embaraçados, as unhas grandes e sujas, a pele encardida denunciando falta de banho.
A professora dá uma olhada geral na sala, tentando adivinhar que pensamentos escondia cada olhar. A aula tem naquele primeiro dia, começo meio e fim, com o em todos os outros dias do mês. No final do mês ela conhece e ama um pouco mais cada criança. Seu desejo é fazer algo além de ensinar a ler e escrever. E baseado nesse desejo, ao receber seu salário, resolve dar um presente à menina que se senta no fundo da sala. Então lhe comprou um lindo vestido azul.

A menina mal podendo conter sua alegria quase não pode esperar chegar em casa para provar o vestido. Sua mãe quase não acreditava! Como a beleza de sua filha fora realçada com aquele vestido.
__Mas isso não pode ser! Uma menina linda dessas não pode ficar assim tão pouco cuidada. Imediatamente levou a filha ao banho, lavou-lhe os cabelos, cortou–lhe as unhas... e naquele vestido azul ela mais parecia uma princesa.

A menina ansiosa por mostrar ao pai seu vestido novo, pôs-se em pé à porta da sala, e ficou lá à sua espera. Ao chegar do trabalho, antes mesmo que ele pusesse os pés no portão da cerca, ela já estava desfilando, de um lado para o outro na frente da casa e num ato de puro carinho abriu os braços e ofereceu-lhe um longo abraço.

Como estava perfumada a sua filha! Como estava linda naquele vestido azul.
__Mas isso não pode ser! Uma menina tão linda e cheirosa, morar numa casa tão pouco cuidada! E naquela mesma noite pai e mãe assentados à mesa da cozinha, faziam planos para a pintura da casa e a limpeza do quintal.

Em pouco tempo com o trabalho nos fins de semana a casa estava pintada e o quintal limpo. Nos lugar dos entulhos um jardim e uma horta.
Como estava bonita aquela casa! Os vizinhos olhavam admirados.
__Mas isso não pode ser! Uma casa tão linda dessas no meio de outras tão sujas! E antes que a admiração se tornasse inveja, os vizinhos, pelo sistema de mutirão, começaram a pintar suas casas e formar hortas e jardins. Em pouco tempo todas as casa da rua estavam limpas e bem cuidadas.

Naquela cidade havia um funcionário da prefeitura que de vez em quando passava por ali, anotando as necessidades da comunidade. Na sua próxima visita ele quase não acreditou no que viu.

__O que aconteceu aqui? Ele perguntou a si mesmo.
__Mas isso não pode ser! Casas tão bonitas com jardins tão floridos não podem ficar numa rua tão esburacada e sem calçamento!
Ele mobilizou o órgão competente da prefeitura, e em poucos meses a rua estava toda calçada com serviço de esgoto e tudo o mais. E a notícia se espalhou por todo o bairro.
Depois de pronta, aquela rua destoava completamente das outras.
Os moradores das outras ruas então não só seguiram o bom exemplo, mas também reivindicaram as mesmas benfeitorias. E em alguns anos aquela periferia perdeu a cara de periferia. Ganhou uma face, um rosto, ares de cidade de interior, tal era a sua beleza e limpeza.
E saber que tudo começou ... com um VESTIDO AZUL.

Autor desconhecido- Recriação- Senhorinha


ORAÇÃO PELOS JOVENS CRENTES
Oro em favor dos jovens que trabalham excessivamente em busca da graduação. Para que tenham forças físicas. (adaptação: ministério desperta Débora, que é um movimento de oração de mães em favor dos seus filhos e da juventude brasileira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário