sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A História da Escola Bíblica Dominical até os Batistas Brasileiros*




O início da Escola Dominical atual é atribuído ao jornalista episcopal Robert Raikes (1735-1811), embora existissem algumas salas de aula nas igrejas Puritanas na Inglaterra,.
Em Gloucester, Sul da Inglaterra, onde ele vivia, a delinqüência infantil era um problema que parecia insolúvel. Menores trabalhavam em minas de carvão de segunda a sábado, tinham pouca ou nenhuma escolaridade, comportavam-se mal e envolviam-se em todo tipo de delitos e confusões.
O Sr Raikes começou convidar os pequenos transgressores para que se reunissem todos os domingos para aprender a Palavra de Deus. Juntamente com o ensino religioso, aprendiam disciplinas seculares: matemática, história e a língua materna - o inglês.
No dia 3 de novembro de 1783, aproveitando-se da sua posição como proprietário do jornal Gloucester Journal, o Sr. Raikes publicou o resultado do seu trabalho de oração, observações e experimentos, contribuindo para a divulgação e propagação da Escola Dominical.
Na América do Norte, algum tempo depois, foi adotada uma nova EBD que oferecia um conteúdo curricular bíblico, objetivando prioritariamente a aprendizagem da Palavra de Deus, a edificação espiritual, o discipulado e a integração e a evangelização. Logo esse modelo de EBD influenciou um grande avivamento e a expansão missionária americana no século XIX.
A história da Escola Dominical no Brasil iniciou com os irmãos congregacionais, no século XIX, pela visão dos missionários escoceses Robert e Sara Kalley. Eles são considerados os fundadores da Escola Dominical no País. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, ocorreu a primeira Escola Dominical em terras brasileiras.
Com apenas cinco crianças, esse início foi suficiente para que o trabalho florescesse e alcançasse os lugares mais retirados do Brasil. Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical, acha-se instalado um colégio. Entretanto, existe um memorial que registra esse momento do início da EBD no país.
A educação bíblica é uma marca visível do povo batista. Já no final do século XIX, os primeiros missionários americanos implantaram a EBD nas igrejas do Brasil. Na palavra do Missionário Willian Buck Bagby, um dos membros fundadores da PIBRJ: “logo após a abertura dos cultos públicos aqui, nós começamos uma Escola Dominical” (AZEVEDO, 1988, p. 34). A Convenção Batista Brasileira, no começo do século XX, criou a Junta de Escolas Bíblicas Dominicais que apoiava esse trabalho educacional. Mais tarde surgiu a Junta de Educação Religiosa para orientação dessa área.
O programa de disciplinas atual das EBD é com base no estudo sistemático dos livros bíblicos, podendo envolver o estudo dos fundamentos doutrinários ou temas relacionados com grupos específicos, como classes para casais, para adolescentes, para novos adeptos ou para catecúmenos (novos crentes), discipulados e outras, que sempre devem estar relacionadas com os fundamentos bíblicos.
Essa paixão dos Batistas pelo estudo da Bíblia desenvolveu o interesse pela educação religiosa, cultivada nas igrejas em todo Brasil, por intermédio, principalmente, da EBD.
Referências Bibliográficas



AZEVEDO, Israel Belo (org.). Coluna e Firmeza da Verdade: história da PIBRJ. Rio de Janeiro: PIBRJ, 1988.



CABRAL FILHO, Djalma Alves. Apostila sobre a História da Igreja II. Rio de Janeiro: S.T.Betel, 2008.



CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA. História dos Batistas. Disponível em < http://www.batistas.org.br/ > > Acesso em: 22/02/2008



ECKMAN, James P. Panorama da História da Igreja. Curso Vida Nova de Teologia Básica - Vol. 4. São Paulo: Vida Nova, 2005.



NICHOLS, Robert Hastings. História da Igreja Cristã. São Paulo: Cultura Cristã, 2004.


senhorinha gervásio disse...

O irmão Djalm e casado com Dra. Ana Margarida Dias Cabral (Bacharel em Direito). Tem duas filhas (Bárbara Dias Cabral - 22 anos e Jaqueline Dias Cabral - 18 anos).
É Coronel do Exército, Professor da UNIP (Campus Manaus) e missionário bivocacionado da JMN. Foi criado na SIB Petrópolis, filho de Diáconos pode receber uma excelente educação religiosa.

Obrigada pela contribuição

Um comentário:

  1. O irmão Djalm e casado com Dra. Ana Margarida Dias Cabral (Bacharel em Direito). Tem duas filhas (Bárbara Dias Cabral - 22 anos e Jaqueline Dias Cabral - 18 anos).

    É Coronel do Exército, Professor da UNIP (Campus Manaus) e missionário bivocacionado da JMN. Foi criado na SIB Petrópolis, filho de Diáconos pode receber uma excelente educação religiosa.
    Obrigada pela contribuição

    ResponderExcluir